Estado arrecada 1.136 milhões com compra e venda de casas em 2017

A euforia em torno do setor imobiliário parece ter vindo para ficar em Portugal. Só no ano passado, o Estado arrecadou 1.136 milhões de euros com a compra e venda de casas. Trata-se de um novo recorde de impostos.

Só com o Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT), cobrado sempre que é comprada ou vendida uma casa, o Estado encaixou 905 milhões de euros. A este montante é preciso juntar 231 milhões de euros do Imposto do Selo sobre a aquisição de imóveis, escreve o Correio da Manhã, baseando-se em dados da Autoridade Tributária.  

Segundo a publicação, os 905 milhões conseguidos com o IMT batem, pela primeira vez numa década, o recorde de 839 milhões de euros, resultado alcançado em 2007. De referir que o resultado de IMT no ano passado mais que duplica os valores arrecadados nos anos de crise – em 2012, por exemplo, o imposto “valeu” 402 milhões de euros enquanto em 2016 

Ao crescer a um ritmo de 24%, a cobrança do IMT conseguiu superar em 256 milhões de euros as próprias expetativas do Governo, que tinha definido no Orçamento do Estado para 2017 um encaixe de 649 milhões de euros apenas com esta contribuição, refere a publicação. 

Relativamente à cobrança do Imposto de Selo, os 231 milhões de euros arrecadados em 2017 superam 29% os do ano anterior mas são ainda ligeiramente inferiores aos conseguidos em 2007, ano em que o encaixe foi de 235 milhões de euros. 

Fazendo as contas, e tendo em conta a soma destes dois impostos e as 153.292 casas vendidas em 2017, conclui-se que o Estado arrecadou mais de 7.400 euros em impostos por cada casa vendida.