CheckSeismic: O sistema que mede os riscos sísmicos dos edifícios .

O serviço atribui uma classificação de risco a cada edifício, de A+ (risco mínimo) a G (risco máximo), que atende a factores como a salvaguarda de vida e a perda económica associada ao dano estrutural provocado por um sismo. Além disso, disponibiliza um relatório detalhado que identifica as anomalias detetadas.

 

O CheckSeismic, é um serviço inovador no nosso país, que propõe uma escala de classificação de risco sísmico, à semelhança da já existente escala de eficiência energética.

O teste é realizado por técnicos especializados, que utilizam as mais recentes metodologias para a avaliação da capacidade resistente dos edifícios. Este serviço surgiu devido às exigências que têm sido feitas por associações profissionais e por peritos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC). Ainda recentemente, em Maio, a obrigatoriedade da certificação sísmica dos edifícios foi uma das medidas defendidas pela Ordem dos Engenheiros Técnicos e por um investigador do LNEC, num seminário sobre Revitalização Urbana que se realizou em Tomar.

 

Disponibilizado pela A400 – Projetistas e Consultores de Engenharia, o serviço CheckSeismic pretende possibilitar que proprietários de edifícios, condomínios, seguradoras, investidores em imobiliário e a própria administração pública saibam como se encontram os edifícios em matéria de vulnerabilidade a um sísmo.

Entrou em vigor em 1958, a lei que prevê a resistência antissísmica, o que quer dizer que a resistência dos edifícios anteriores a esta data é especialmente frágil. Mas mesmo os que foram construídos após a introdução da legislação levantam, na generalidade, muitas dúvidas quanto à sua qualidade. Os especialistas têm vindo a alertar para esta situação.

Uma das propostas legislativas mais recentes aconteceu em 2010, quando a Assembleia da República aprovou uma Resolução em que recomenda ao Governo a adopção de medidas para reduzir os riscos sísmicos.